Flávia Ribeiro

(em desenvolvimento)

Com quase quarenta anos a minha vida mudou. Obviamente não foi o fato de estar perto dos quarenta que causou a mudança – mas gosto de pegar o quarenta como um marco, só pra encaixar na biografia. E também não houve nenhum evento impactante que tenha causado esta mudança, como um novo trabalho, ir morar numa nova cidade, um novo relacionamento, falência etc.

Não. Nada disso. Tudo continua mais ou menos como era antes.

Mas coisas muito importantes aconteceram dentro de mim, em mim, pra mim, por mim.

Primeiro – Deus

Segundo – Beth

Terceiro – Mãe

Quarto – Deus, sempre Deus

Eu li, ouvi e falei esta frase muitas vezes nos últimos tempos: não adianta fugir de algo que é pra você lidar. Onde quer que você vá, com quem quer que você esteja, faça você o que fizer, você vai ser confrontado de novo, de novo e de novo até que tome uma decisão, pare de fugir, se esconder ou adiar – e segure o touro pelos chifres.

Às vezes a gente acha que resolveu certas coisas mas na verdade estamos nos enganando com paliativos que aliviam na hora mas não agem a longo prazo. E isso é um atraso de vida por que, no mínimo te dá trabalho ou chateação duas vezes.

Aos quarenta eu sinto que é cada dia esta frase fique mais clara – assim como percebeo que fica mais fácil que eu me aproprie das questões da minha vida.

Daí resolvi compartilhar tudo isso.

Esse blog começou como Quase Quarenta. Mas eu não o desenvolvi muito, por N motivos. E eis que De Repente (completei) Quarenta e aqui estou, de volta.